“Xoxota Urbana” – desconto em putaria no Japão

Cupom de "sexo mais barato" como em sites de desconto como o Peixe Urbano

“Sabe aquela prostituta que custava 500 reais? Então, se ela fizer sexo com 50 pessoas o preço dela cai para 250 reais”.

Esse blog aqui não é só de notícias, mas também para registrar explosões criativas e coisas interessantes que encontro por aí. Ontem eu estava procurando uma notícia que li uma vez na internet que dizia que um número enorme de mulheres japonesas entram para o mercado de sexo fazendo filmes pornográficos. E encontrei essa matéria em uma postagem antiga do Yahoo!. A informação caiu nas mãos de uma agência de notícias da Coréia que declarou que o Japão é o único país do mundo que pode ser chamado de “Porn Paradise, o lugar onde estudantes colegiais e vovós aparecem constantemente em filmes pornográficos”.

A pesquisa que foi realizada revelou que já passaram pela indústria de filmes adultos no Japão cerca de 100.000 mulheres, o que daria uma mulher para cada 500. Dessas mulheres 9% não eram profissionais (prostitutas), mas sim amadoras que entraram nessa pela curiosidade e depois saíram sem nunca mais ter sem nunca mais ter se relacionado com filmes adultos.

Scouter em Shibuya procurando a próxima atriz pornô

 

Realmente visitando o Japão dá para notar que existem milhares de filmes pornográficos e todas as mulheres são absolutamente diferentes. São pouquíssimas as estrelas nesse ramo por lá.  Eu já comentei aqui que vi Scouters (caçadores de talentos) abordando garotas em Shibuya, o bairro de Tóquio considerado o local da juventude, como se fosse a coisa mais comum. E fazer um trabalho como este paga muito bem. No Japão uma garota que se prostitui ganha em geral entre três e cinco mil reais por noite. Numa produção simples, uma garota recém descoberta pode ganhar até 20 mil reais. E infelizmente sendo uma menina com 18 anos, esse valor faz muita diferença na hora de comprar roupas e acessórios de marca. Este ano o governo proibiu que os caras abordassem as garotas finalmente.

Mas não é só isso. Eu vivo falando aqui neste blog que o Japão tem uma sociedade e cultura completamente diferente da nossa. Eles são absolutamente caretas para certas coisas e absurdamente liberais em outras de uma maneira que um brasileiro que não tenha uma cabeça muito aberta nunca entenderá.

Eu vi uma pesquisa uma vez que dizia que os japoneses são o povo que menos faz sexo no planeta. Se isso é verdade, sempre achei que eles não devem fazer  em casa com a esposa, pois andando por Tóquio você percebe que lojas de produtos eróticos, casas de massagem e prostitutas são coisas comuns. E eles veem o sexo de forma bem diferente da gente. Existe uma fachada aparentemente conservadora e por vezes tímida que esconde um sentimento liberal em relação ao sexo.

E os japoneses adoram criar coisas novas ou subverter algo já existente. Como é o caso do Nukipon que é o site de cupons de desconto para sexo, casas de massagem, filmes pornô e afins. Ele funciona do mesmo jeito que sites como o Groupon ou Peixe Urbano. Você procura sua cidade e vê qual é o desconto correspondente, paga o valor, pega o cupom e vai ao local receber o serviço. Os descontos acontecem porque um mesmo serviço está sendo negociado para um valor maior de pessoas. É assim que o Groupon vende um pacote de viagem de 700 por 350 reais. O Nukipon faz isso.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. ericavet disse:

    se conseguir 10 clientes faco a trepada por 50 para cada

    Curtir

  2. ericavet disse:

    se conseguir 10 clientes faco a trepada por 50 para cada promocao

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s