Meu encontro com Yuka Hirata (Mele)

Yuka Hirata, a Mele, de Juuken Sentai Gekiranger
Yuka Hirata, a Mele, de Juuken Sentai Gekiranger

Em 2007 fiz a minha primeira viagem ao Japão. Já havia estudado bastante cultura e língua japonesa e resolvi que era a hora de ir até o arquipélago. Só que a minha viagem foi um pouquinho diferente da maioria dos turistas porque pelos amigos que eu fiz por lá, eu acabei conhecendo pessoalmente pessoas e lugares que jamais sequer pensei que chegaria perto. Acabei conhecendo o Japão pelo olho daquilo que eu considero o meu objeto de estudo: a cultura pop japonesa. E foi assim entrando pela porta dos fundos do mundo das celebridades e da música que eu aprendi muitas coisas.  Enfim, um dos primeiros lugares a qual fui convidado a visitar foi o SET de um seriado de super-heróis japoneses chamada Juuken Sentai Gekiranger (Esquadrão Punho de Fera Gekiranger )que no começo de janeiro de 2007 estava em sua primeira semana de gravação.

Foi num belo dia de manhã que fui junto com outro amigo aos estúdios da Toei, a maior empresa de cinema e tv a produzir seriados com os heróis de capacete e colant colorido. Nós tínhamos duas opções: um acordar muito cedo e acompanhar uma equipe que filmava os dublês das cenas de ação dos heróis ou ir até o estúdio e ver as cenas com os atores e atrizes que interpretavam os vilões da série. E nos acabamos por escolher a alternativa número 2.

Dentro do SET de filmagem se encontrava uma equipe inteira de câmeras, produtores e um diretor que faz esse tipo de trabalho a mais de 20 anos. E lá eram feitas as primeiras filmagens de uma dupla de vilões que depois ficou muito conhecida do público infantil japonês e de muito marmanjo via internet: Rio (Hirofumi Araki) e Mele  (Yuka Hirata).

O cenário minuciosamente detalhado possuía cores fortes, com uma combinação de preto e vermelho que dava o tom escuro apropriado aos vilões.  No meio da sala um trono onde ficava Rio e em torno dele haviam dublês vestidos com roupas de monstros por todos os lados. Eu me lembro que entre uma cena e outra, após ouvir o “corta” do diretor, assistentes entravam e ajudavam os “monstros” a tirarem suas “cabeças”. As duas criaturas lá do fundo quando estavam sem “cabeça” logo começavam a fumar. Dentro da sala ainda haviam uns 9 monstro com roupas e feições iguais. Eram o time de capangas do vilão Rio. Eram apenas 9, mas no dia em que assisti o primeiro episódio da série percebi que um efeito especial fazia parecer que eram muitos.

Cada quadro e movimento era filmado de ângulos diferentes, um trabalho específico e bem árduo. E a gente assistia tudo ali do ladinho, mas quando eles paravam de gravar a gente saía pra “fuçar” pelo cenário e tietar um pouquinho os atores. Engraçado de tudo é que eu nunca tinha ouvido falar em nenhum dos dois vilões da série, mas isso mudou nos meses seguintes a essa visita. Com o lançamento de Gekiranger, os dois foram estampados em capas de revistas, jornais e entrevistados na tv. Eles eram jovens como o mercado pra esse tipo de coisa exige.

Quando a Yuka Hirata saiu de uma de suas cenas e foi substituída em algumas tomadas por um dublê, que vestia a roupa do monstro na qual ela se transformava, a gente aproveitou para tirar esta foto aí embaixo:

DSC00298
Ricardo, eu e a Yuka Hirata no cenário de Gekiranger!

Eu só estou escrevendo este post porque outro dia escrevi o nome dela no site de buscas e surgiram várias fotos provocantes desta atriz e modelo (uma delas tá aí em cima!). Fiquei embasbacado. Tanto antes da fama, quanto depois dela, a Yuka continuou a se dedicar a carreira que os japoneses chamam de Gravure Idol que são mulheres que fazem vídeos e fotos provocantes, mas sem pornografia que são vendidos aos homens babões no Japão. E esse é um “emprego” muito popular para belas mulheres e jovens ídolos por lá. É muito comum que uma mulher famosa ou que quer subir os degraus do sucesso se sujeitem a esse trabalho. Rende muito dinheiro por lá.

Eu só condeno as Gravure Idols muito jovens. Como esses vídeos e fotos não são considerados pornografia, algumas empresas japonesas abusam da liberdade e acabam transformando garotinhas entre 7 e 13 anos em Gravure Idol o que é para qualquer um muito mal visto.

Abaixo você confere um vídeo que eu fiz durante as gravações no estúdio.

Um vídeo dela como Gravure Idol…

E a abertura de Juuken Sentai Gekiranger!

Se você sabe japonês e quer saber o que a Yuka Hirata está fazendo atualmente é só conferir o blog dela clicando aqui.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. ryoowatari disse:

    *mele chan / morri

    eu assisti parte de gekiranger e posso dizer que estou com muita inveja de vc ^^

    mele chan eh muito gata

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s