Clementine está de volta em The Walking Dead – A New Frontier [Sem Spoilers]

Ó querida, ó querida, ó querida Clementina! Que saudades da Clementine! A volta da personagem marca a terceira temporada da trama principal do game The Walking Dead da Telltale Games que teve seus dois primeiros episódios lançados nesta semana de natal para que você passe o período de festas decidindo quem vive e quem morre neste mundo pós-apocalíptico dominado por zumbis que amamos odiar.

Mecanicamente The Walking Dead: The Telltale Series – A New Frontier não traz muitas novidades ao estilo de gameplay que conhecemos, mas agiliza e redesenha o que já existia nas duas temporadas anteriores. O tempo de resposta para algumas ações ficou mais rápido, mesmo utilizando os mesmos movimentos e botões simples que podem ser feitos em diferentes plataformas. Por falar nisso, o game saiu simultaneamente para PC, PlayStation 4, Xbox One e no sistema operacional iOS (iPhone e iPad). A versão para Mac deve sair futuramente.

Visualmente o jogo está mais refinado e o estilo que mais parece uma “história em quadrinhos controlável” ficou bem mais bonita de se ver.

Javier se encontra com Clementine, mas eles nunca se viram antes
Javier se encontra com Clementine, mas eles nunca se viram antes

Bom, mas o que nos fez e sempre nos fará amar este The Walking Dead da Telltale é mesmo a sua história. E confesso que este foi o primeiro título que tive vontade de jogar cada episódio mais de uma vez tomando decisões diferentes. A base do enredo é nos fazer conviver com a dor da perda em um mundo onde todos pensam apenas na própria sobrevivência. Nas primeiras duas temporadas da franquia nos games, eu tinha mesmo aquele sentimento que não queria “reviver” momentos de sofrimento e por isso apenas aceitava o que havia decidido e seguia em frente. As opções de “mudança real” na história eram poucas. 

Já nesta terceira temporada, a Telltale aperfeiçoou o enredo e o estilo das escolhas de uma maneira muito boa acrescentando flashbacks jogáveis. E cada decisão tomada “no passado” influencia o enredo que está sendo construído no presente.

Claro que ter Clementine de volta é uma das maiores surpresas e logo no começo de A New Frontier é possível passar todas as decisões que foram tomadas por você nas temporadas 1 e 2 do jogo para que a Clementine que você encontrará seja exatamente igual aquela que deixou nos anteriores. E você pode puxar estes arquivos de qualquer plataforma que já tenha jogado desde que eles tenham sido enviados para uma conta na rede da Telltale que pode ser acessada em qualquer dispositivo.

Bom, mas não se preocupe! Se você não tiver estes arquivos, pode responder a um questionário sobre as duas primeiras temporadas e “criar” sua Clementine do zero baseando-se no que lembra da história anterior. Se nunca tiver jogado The Walking Dead antes ainda pode começar a jogar do zero, mas te recomendo fortemente que jogue as temporadas anteriores porque é uma experiência incrível.

 

Clem está de volta!
Clem está de volta!


Só pra você saber o que rola antes!

Na primeira temporada, o jogador controlava Lee, um ex presidiário que arrisca sua vida para cuidar de uma garota abandonada cujo sonho era reencontrar seus pais que estavam fora de casa quando a epidemia começou. Somos apresentados então a Clementine ainda criança.  Já na segunda temporada, ela aparece um pouco mais velha e vagando sozinha acaba encontrando um novo grupo de pessoas e no final está cuidando sozinha de um bebê. Cabô o resumo, se quiser saber como as coisas acontecem, jogue que vale a pena! 

O twist em A New Frontier acontece quando descobrimos que a história não retoma exatamente de onde parou. Estamos basicamente onde nos quadrinhos seriam os capítulos de All Out War, ou seja, já se passaram alguns anos depois do “day one” do  apocalipse zumbi e existem comunidades formadas por sobreviventes. Basicamente, onde estamos na série de tv também, apesar de não haver uma relação direta entre as histórias, embora alguns personagens conhecidos sempre apareçam.

Laços que unem 1 e 2 são os episódios que formam um novo grupo de sobreviventes
Laços que unem 1 e 2 são os episódios que formam um novo grupo de sobreviventes

Desta vez Clementine não é a protagonista

Em um flashback no começo do jogo somos apresentados a Javier e sua família de origem latina em uma situação drástica no começo da epidemia. Anos se passam e o jogador passa a controlar Javi que tenta proteger sua família. Para nossa surpresa, pela primeira vez, Clementine não é a protagonista da trama principal! Você simplesmente a encontra em um determinado momento. E ela já é uma adolescente! E isso é incrível! Daí em diante passamos a enfrentar situações extremas e decisões difíceis que colocam em risco a sua vida e a de pessoas a sua volta.

A história em A New Frontier sempre faz esta contraposição com eventuais “bate-voltas” ao passado até mesmo para explicar o que Clementine andou fazendo naquele momento em que se junta a Javi já que nós, os jogadores, não a acompanhamos neste período que se passou.

Uma das coisas mais interessante e que o jogador percebe conforme avança com sua experiência em A New Frontier é tentar não se deixar influenciar pela presença da Clementine. Se você jogou as duas temporadas e vivenciou o caminho cruel por onde a personagem passou isso eventualmente acabará influenciando suas decisões quando elas a envolvem. O ideal seria começar imaginando que como Javi, nós nunca vimos Clementine na vida.

 

Clementine já é uma adolescente
Clementine já é uma adolescente

Fica claro que não é o mundo dominado por zumbis que é o problema, mas sim as relações humanas que são e a série The Walking Dead tanto nos quadrinhos, quanto nos games e na série de tv tratam disso.  TWD traz a tona o pior e o melhor de cada um de nós, mas acredito que nos games a experiência seja mais significativa do que em outras mídias porque ela coloca na sua pele a possibilidade de “escolher” o que fazer e conviver com o resultado de suas ações.

Em dado momento ser paciente, amoroso e confiante, apesar de serem boas qualidades em tempos de paz podem colocar você e aqueles que escolheu defender em risco. Aprender a tomar decisões difíceis e seguir em frente acaba tornando-se o fundamental para sobreviver.

Problemas de tradução na versão brasileira

Na versão brasileira encontramos vários erros de tradução nas legendas a partir do episódio 2. Os erros deixam claro que os tradutores não tiveram acesso ou interesse em elementos da história, tiveram pouco tempo para traduzir ou são novatos e por isso, algumas frases podem não fazer sentido.  Por exemplo, em um dado momento um dos personagens abre o capô de um carro e usa a expressão: “Poppin’ the hood” que significa “Abrindo o capô”, mas a palavra “poppin'” virou explosão e por isso na legenda aparece “Explodindo o capô”.

Eu, particularmente, estava muito empolgado com o retorno de Clementine nesta nova história e os dois primeiros episódios de A New Frontier, cada um com cerca de duas horas e meia de gameplay cada, servem para abrir caminho para uma nova e apavorante série de acontecimentos que só serão concluídos no três episódios seguintes que serão lançados no ano que vem.

O duro é terminar o segundo episódio e ter que esperar os outros três! Mas não dá pra reclamar muito porque a expectativa também é o que faz a série ser tão famosa não é mesmo?

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s