Redescobrindo o amor pela família com Final Fantasy XIV – Dad of Light

Do alto dos meus 38 anos gostaria muito de ter altas conversas com meus pais sobre videogames, super heróis, desenhos animados e filmes cheios de efeitos especiais. Certamente essa seria uma forma de nos aproximarmos, de termos mais coisas em comum, mas entendo que eles não puderam participar tanto disso quando eu era mais novo.

Enquanto  com 7 anos me escondia da realidade jogando videogames, meus pais passavam quase o dia todo fora de casa trabalhando muito pra gente sobreviver numa época cheia de problemas políticos e econômicos.

Na infância deles não houve muita chance de brincar. Meu pai começou a trabalhar com 10 anos em uma fábrica de réguas pra ajudar em casa. A minha mãe saiu de uma cidade minúscula no litoral de Natal com 17 anos para uma jornada que a traria até São Paulo, onde se conheceriam. A trajetória deles é sim muito diferente da minha, mas se não tivessem passado por isso eu e minha irmã nem estaríamos aqui. A luta pela sobrevivência e a jornada de cada um tem o poder de nos afastar emocionalmente daqueles que amamos. E diminuir esta distância é o grande desafio da vida.

Akio ensinando seu pai Hirotaro a jogar Final Fantasy XIV

Já percebeu o quão fácil é crescer distante da família mesmo morando na mesma casa? O quão fácil é se afastar e nem saber sobre pelo que seus pais, avós, irmãos e até tios podem estar passando? Por mais que amemos incondicionalmente quem faz parte da nossa própria existência em muitos momentos é mas fácil saber mais o que um amigo distante está fazendo do que quem vive pertinho da gente.

Final Fantasy XIV – Dad of Light série que chegou ao Netflix no dia 1 de setembro trata exatamente disso. Com 8 episódios, ela foi criada a partir de um blog pessoal onde o autor (Maidey) narrou as aventuras que vivia com seu pai em Final Fantasy XIV. Para quem não sabe (e chegou  aqui por este texto!), FFXIV é um game MMORPG (Multi Massive Online Role Playing Game) onde os jogadores criam personagens e vivem aventuras conectados pela internet podendo conversar entre si com teclado ou headset. A série de jogos Final Fantasy em si é muito famosa, o primeiro jogo foi publicado em 1987.

Hirotaro espantado por existir Final Fantasy nos dias de hoje

Quando o pai de Akio Inaba, Hirotaro, se demite da empresa em que trabalhou quase a vida toda o jovem fica preocupado e quer descobrir o que aconteceu. O problema é que há muito tempo ele não tem um contato afetivo com o pai, um homem sério e contido que se dedicou ao serviço e mal teve tempo de brincar com ele quando criança. Então, Akio se lembra de um único momento na infância em que eles foram até uma loja de videogames e compraram Final Fantasy para jogarem juntos.

Pensando nisso, Akio vai até uma loja e compra um PlayStation 4 e o jogo FFXIV para o pai com a desculpa de ser um “presente de aposentadoria já que não tem mais nada pra fazer”. Ele instala o aparelho na tv da sala e o ensina a jogar. Enquanto isso, no quarto em um PC, Akio usa seu personagem, a guerreira Maidey, para se aproximar e criar uma amizade com Hirotaro que no jogo se chama Indy Jones. Enquanto jogam, Akio vai redescobrindo como se conectar novamente com seu velho. Pai e filho passam a se ajudar e a ensinar um ao outro, mas em universos diferentes.

Final Fantasy XIV – Dad of Light é uma série japonesa emocionante daquelas de “aquecer o coração” cheio de referências bobinhas e que certamente vai tirar algumas lágrimas de quem assistir. Posso te dizer que nunca pensei que fosse me emocionar vendo um guia de estratégia.
O nome Dad of Light que traduzido fica “Pai da luz”, um tanto estranho pra nós, vem de um termo em japonês usado em histórias de heróis.

“Quando o mundo estiver coberto de escuridão, um guerreiro da luz (Hikari no Senshi) aparecerá para salvar a todos”.

No controle de Maidey, Akio se diz um guerreiro da luz, mas conforme vai conhecendo melhor seu pai, e descobrindo por tudo o que ele passou, percebe que na verdade Hirotaro é que é o grande herói.

Ah, tem Destiny 2 que acabou de sair. Se tiver a fim de jogar com o pai fica a recomendação.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. ghosturbo disse:

    Gostei muito da sua análise citando sua vida pessoal. Deu um toque único e apesar de não ter feito como você fez quando escrevi a minha análise, também revivi momentos da minha vida vendo essa série.
    Minha análise é esse aqui, quem quiser conferir: https://www.youtube.com/watch?v=IZnN8ini0YA

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s